Error

Rio volta a registrar ruas cheias e aglomerações na Quarta-feira de Cinzas

Avenida Ataulfo de Paiva, no Leblon tem aglomeração e desrespeito as medidas de prevenção a covid-19Reprodução / TV Globo

Imagens mostraram ruas lotadas e pessoas sem máscaras em bairros da Zona Sul, Oeste e na região Central

 

POR O DIA
Rio – Diversas pessoas se aglomeram e desrespeitam as medidas de prevenção à covid-19, desde a noite de terça até a madrugada desta quarta-feira, em vários pontos da cidade. Imagens mostraram aglomerações e pessoas sem máscaras na Barra da Tijuca, Jacarepaguá, Cidade de Deus, na Zona Oeste, na Lapa, na Região Central, no Leblon e em Copacabana, na Zona Sul. Na terça-feira também foram registradas aglomerações e desrespeito às normas.
Pontos tradicionais de bares, que têm repetido a tradição de não respeitar as medidas de enfrentamento à pandemia, também foram flagrados com movimentação. As ruas Olegário Maciel, na Barra da Tijuca e Dias Ferreira, no Leblon ficaram lotadas chegando a atrapalhar o trânsito na região.
A Prefeitura do Rio informou que dois estabelecimentos foram interditados no Anil, na Zona Oeste, por falta de documentação. Um deles havia programado um baile infantil de carnaval e o outro planejava um evento também. Segundo a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), no momento da fiscalização, não foram constatadas aglomerações.
Na terça-feira, os comboios da Seop, com a Guarda Municipal, Instituto de Vigilância Sanitária, e o apoio da Polícia Militar, também percorreram pontos da Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes. Além das três interdições, foram realizados nove autos de infração ao todo – quatro na Barra, dois no Anil e três no Vidigal. Na fiscalização do comércio ambulante, a Coordenadoria de Controle Urbano (CCU, da Seop) apreendeu 14 bebidas em garrafas de vidro, cinco botijões de gás e duas moendas de caldo de cana nas orlas das Zonas Sul e Oeste.
A Polícia Militar informou que para este feriado prolongado empregou cerca de 14 mil policiais militares e duas mil viaturas em todo o estado para atuar em ações conjuntas com a prefeitura. O planejamento segue um modelo mais dinâmico, com reforço de patrulhamento nas áreas centrais da cidade e na orla. “Ressaltamos que quando acionadas, nossas equipes vão ao local em apoio aos órgãos fiscalizadores e que desde o início da pandemia vem desenvolvendo um amplo trabalho de conscientização”.
Imagens aéreas feitas pelo Bom Dia Rio, da TV Globo mostraram uma festa no alto da comunidade do Vidigal, na Zona Sul do Rio. O registro mostrou que a festa só terminou por volta das 7h30.
A Prefeitura informou que um bar clandestino e dois estabelecimentos foram interditados na comunidade. A ação da Secretaria Municipal de Ordem Pública, com apoio da UPP Vidigal, interditou, na terça-feira, o estabelecimento o Alto Vidigal Bar e Lounge, que protagonizou cenas de aglomerações e desrespeito às regras de prevenção à covid-19. Segundo a pasta, o local não tinha documentação, mas a ausência de responsáveis impossibilitou a lavratura de autos de infração.

O Bar da Laje e o Hotel Brisa Mirante, no Mirante do Arvrão, também foram autuados por falta de licenciamento e o primeiro por pessoas fumando, totalizando R$ 10.624,28 em multas.

Aglomerações no Carnaval

A Secretaria Municipal de Ordem Pública informou que desde a sexta-feira (12), foram contabilizadas 83 inspeções sanitárias, com 30 interdições e 63 infrações em estabelecimentos por aglomeração e descumprimento de outras medidas de proteção à vida, além da falta de licenciamento. Durante as ações, a Coordenadoria de Licenciamento e Fiscalização também registrou 59 vistorias (podendo ser nos mesmos estabelecimentos), com 24 notificações, entre autuações e interdições administrativas (falta de alvará e excesso de mesas e cadeiras).

Além disso, no mesmo período, mais de 100 ambulantes também foram fiscalizados, com 19 multados e 964 itens apreendidos, principalmente bebidas em garrafas de vidro. Somando as bebidas apreendidas pelo Ivisa em eventos e pela GM nas ruas, foram mais de cinco mil unidades, a maioria alcoólica. Já equipamentos de som foram 35 ao todo.

Fonte: O Dia

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *