Error

Cães da Polícia ajudam a criar vínculos com a comunidade, dizem condutores

A Polícia Militar divulgou recentemente que com o auxílio dos cães que atuam na patrulha canina, (chamada de K-9) no Espírito Santo foram apreendidos 604 quilos de entorpecentes em 2021.

Também foram localizadas 155 mil unidades de entorpecentes (pinos, papelotes, buchas e pedras), 120 armas de fogo, 76 carregadores, mais de 27 mil munições de diferentes calibres e 132 mil reais. Além disso foram detidas 234 pessoas.

Segundo o comandante do Batalhão de Ações com Cães (BAC), tenente-coronel Tavares, os indicadores de apreensões são bons termômetros para verificar o caminho certo ao fortalecer o emprego dos cães nas operações policiais.

No sul do Estado algumas cidades possuem equipe da Patrulha K-9, que trabalha com cães no trabalho preventivo e ostensivo, entre elas Guaçuí e Mimoso do Sul, através da 3ª Cia e  15ª Cia Independente respectivamente.

Em Mimoso do Sul o soldado Farlley de Almeida Silva é o condutor do cão Top, cuidando dele em sua casa, e sendo responsável pela sua alimentação, treinamento e passeios.

“A gente desenvolve uma relação de amizade e parceria. Cria um vínculo muito grande, acaba se tornando um amigo, membro da família e a família também abraça esse cão. A presença do Top mudou muito minha rotina”, destaca o soldado.

Tudo porque, explica Farlley, além de ser um cachorro comum, Top é também um policial e tem a sua hora de trabalho e treinamentos específicos.

“É preciso ter paciência com ele, que além da rotina na busca por armas e drogas, também participa de ações educativas com as crianças nas escolas”.

O condutor do Top diz que a ação com o cão é muito positiva em todas as companhias da PM porque inibe muito o número de crimes.

“Os criminosos têm muito medo do cachorro que detecta armas e drogas e isso acaba reduzindo o tráfico por causa da ostensividade do cão”.

O soldado Farlley Almeida destaca que é muito importante falar que o cão também aproxima a sociedade da polícia “A presença do cão aumenta o elo das crianças e adolescentes, enfim, da comunidade conosco porque todos querem saber sobre ele. Sem sombra de dúvidas esta é uma modalidade de policiamento muito importante para a Polícia Militar do Espírito Santo”, enfatiza.

A boa notícia em Mimoso do Sul, onde o cão Top mora com o seu condutor, e também para as cidades atendidas pela 15ª Cia Independente, é que já a partir de janeiro Top será utilizado como mais um policial dentro da viatura, saindo logo cedo com a equipe para o trabalho. “Com certeza o número de apreensões vai aumentar”, acredita o condutor.

Já na região do Caparaó quem atua com policiais militares do 3º Batalhão de Polícia Militar, sediado em Alegre, é a cadela Alga, que tem sido apoio na apreensão de muitas armas e drogas.

“A gente tem feito apreensões e dado apoio a outras unidades do Batalhão e até à Polícia Civil. A presença da Alga aqui facilitou muito porque agora não precisamos esperar cães de outros municípios para as operações”, destaca o cabo Boeno, que juntamente com o cabo Souza são os condutores da cadela.

Boeno destaca que em algumas situações só o cão consegue localizar as drogas porque o faro clínico do animal é muito mais apurado do que o humano.

Mas o condutor de Alga ressalta que o trabalho com a Patrulha K-9 vai além das apreensões e que ações sociais e educativas também são realizadas.

Cita o Projeto Matilha Amiga, da Patrulha K9 do 3º Batalhão, que visita escolas municipais da Região do Caparaó para conscientizar crianças, jovens e adolescentes com palestras sobre a importância da prevenção ao uso de drogas, bem como suas consequências penais e sociais e os princípios básicos de respeito e cidadania.

Ele é outro que elogia a cadela que ficou sobre seus cuidados. “O Cão tem comportamento surpreendente. A unidade K9 é feita através de um binômio (cão e condutor) e cria um apego maior em ambas as partes”.

Apesar disso o cabo Boeno ressalta que ser condutor envolve uma rotina de muita responsabilidade, que começa todos os dias com alimentação, limpeza e higiene.

“Sem falar nos treinamentos diários para que o cão fique cada vez mas apurado e mantenha seu condicionamento e assim apresente os resultados esperados”, pontua.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.