Error

Dose de reforço é indicada após 30 dias dos sintomas da covid

Vacina não oferece risco, mas serve para não confundir os sintomas

No final do ano passado, uma gripe acometeu a dona de casa Marina Ricardo França e a família dela. Logo que ela começou a se recuperar, já no início de janeiro, Marina percebeu que estava na hora de tomar a dose de reforço para Covid-19.

A decisão de Marina de aguardar para tomar a dose de reforço está em conformidade com as recomendações do Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19, publicado pelo Ministério da Saúde.

O plano orienta que as pessoas não tomem a vacina quando estiverem acometidas por Covid-19 ou por qualquer outra doença respiratória. A recomendação é de que se aguarde pelo menos quatro semanas após o início dos sintomas, ou após o resultado positivo no teste PCR.

A diretora da Sociedade Brasileira de Imunizações, Flávia Bravo, explicou que esse período de espera é importante para evitar uma confusão de diagnóstico entre os sintomas da doença e os possíveis efeitos adversos da vacina. A recomendação vale tanto para quem teve confirmação quanto suspeita de ter sido infectado com o novo coronavírus.

O prazo recomendado de quatro semanas após o fim dos sintomas para que a pessoa se vacine contra a Covid-19 vale tanto para a dose de reforço quanto para as primeiras doses do paciente.

Edição: Jacson Segundo / Guilherme Strozi

Publicado em 24/01/2022 – 20:48 Por Daniel Ito – Repórter da Rádio Nacional – Brasília

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.